Baixe grátis - Podcast Os 5 grandes erros cometidos por confecções de roupas

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Faltam Técnicos com Habilidades para Gestão

Antonio Salvador, vice-presidente de RH da HP, diz que empresa está investindo mais na retenção dos chamados 'top talents'
Formado em matemática e eletrônica, Jaílson José de Queiroz começou sua carreira na IBM como assistente técnico há 23 anos. Após diversas promoções dentro do nível operacional e uma expatriação para os Estados Unidos, ele foi convidado a assumir seu primeiro cargo de gestão em 2005, em uma filial de Minas Gerais. Mas a evolução da carreira administrativa não parou por aí. Desde 2010, ele ocupa o cargo de gerente sênior de manutenção e serviços da multinacional em São Paulo, coordenando o trabalho de mais 14 gerentes. "Nunca me imaginei gerente. Gosto muito da área técnica e achei que seguiria carreira dessa forma", conta.
No entanto, como acumulava duas décadas de conhecimento em relação às linhas de produtos e à cultura da empresa, além de demonstrar habilidades para coordenar outras pessoas, foi reconhecido como um "líder potencial". A partir daí, recebeu uma série de treinamentos para que aprimorasse aptidões de gestão. "Quando se é um especialista, os seus resultados dependem apenas de você. Mas, como gestor, sou responsável também pelo desempenho de cada um da minha equipe", afirma.
Segundo ele, foi preciso aprender a lidar com os potenciais e as limitações de todos para alavancar a performance do grupo. Sem os conhecimentos técnicos, entretanto, Queiroz acredita que não conseguiria superar os entraves da gestão. "Hoje coordeno outros gerentes, uma tarefa complexa, pois parte dos meus subordinados é até mais experiente que eu", diz. Para continuar crescendo na carreira ele começará uma pós-graduação em gestão em 2013, paga pela empresa.
Casos como o de Queiroz têm se tornado o centro das políticas de sucessão das empresas de TI, uma vez que encontrar esse perfil é ainda um dos maiores desafios do setor. Segundo pesquisa da Korn/Ferry, é justamente na média gerência que está a maior escassez de talentos em TI. O levantamento foi realizado com 4 mil profissionais de 21 empresas globais como Microsoft, Linkedin, HP, Cisco e IBM.
Ao mapear o "índice de agilidade de aprendizado", que mede a capacidade que os profissionais têm de utilizar conhecimentos anteriores para solucionar novos problemas, a consultoria constatou que, em média, gerentes de TI apresentam uma das menores taxas do mercado. Enquanto esse profissional possui um "índice de agilidade de aprendizado" em torno de 46 pontos, os seus pares nos ramos de comunicação (55), serviços financeiros (51) e bens de consumo (51) estão bem à frente. Contudo, a condição do analista de TI, nível considerado operacional, é oposta: a pontuação desses profissionais chega a 51 - o patamar mais elevado entre os seus pares nos setores pesquisados.
Os dados parecem contraditórios à primeira vista, mas, segundo Jairo Okret, sócio-diretor sênior de tecnologia da Korn/Ferry no Brasil, isso acontece porque o analista que possui grande potencial de aprendizado é logo fisgado pelo mercado, forçando a companhia a promover técnicos que ainda não desenvolveram as competências necessárias para o cargo de gestão. "No mundo ideal, um analista talentoso viraria gerente e, eventualmente, diretor e presidente", explica. No segmento de TI, porém, esse profissional acaba sendo assediado e se tornando um executivo de destaque em outra empresa. "Existe, assim, um gap entre o índice de analista e o de gerente dentro da mesma companhia".
Jaílson Queiroz começou na IBM como assistente técnico, mas depois seguiu carreira na área de gestão na companhia
No caso do índice do analista ser mais elevado que do gerente, Okret justifica que a diferença está no processo de recrutamento e seleção das companhias, que buscam os técnicos mais qualificados desde a fase de estágio. Além disso, a pesquisa mostra que a alta gerência do setor (diretores e presidentes) possui um índice de agilidade de aprendizado de 59 pontos, atrás apenas dos seus correspondentes do setor de bens de consumo (62). "Os dados refletem que os principais executivos das companhias de TI vêm de fora, já desenvolvidos em outras empresas", afirma. Okret diz que em um mercado que valoriza criatividade, rapidez e domínio das ferramentas tecnológicas, enxergar a capacidade de liderança desde o início da carreira dos colaboradores e investir na retenção deles é essencial para minimizar o problema.
Ao notar que 40% dos seus principais executivos vinham de fora, a HP passou a investir mais na retenção do que chama de 'top talents' nos últimos dois anos, período em que conseguiu reduzir esse índice para 30%. "A saída de profissionais de alta performance é uma perda inestimável. Passamos a apostar mais nos planos de carreira, baseados em políticas de desempenho e meritocracia", diz Antonio Salvador, vice-presidente de RH da empresa. Em dois anos, o turnover dos chamados 'top talents' caiu de 10% para 4%.
De acordo com Salvador, trazer executivos de fora também é importante para oxigenar as operações, mas promover internamente é uma maneira mais eficaz para revitalizar os negócios e motivar os talentos a continuar na corporação.
O programa Novos Gestores da HP destaca profissionais de alto potencial a cada análise anual de desempenho. Os eleitos têm uma parte de sua jornada diária de trabalho reservada para treinamentos com foco no desenvolvimento de habilidades gerenciais. Para tanto, é importante que as empresas da área ofereçam também a chamada carreira em Y. "Não podemos perder um bom técnico pelo fato de ele não querer, ou não ter o perfil, para assumir um cargo de gestão", pondera Salvador, da HP. Nesse caso, o funcionário precisa de espaço para crescer no nível operacional.
Na Cisco Systems, onde metade dos principais executivos vieram do mercado, a percepção de que é preciso investir mais na qualificação de futuros líderes também existe. O diretor de RH da companhia no Brasil, Silvio Paciello, afirma que a escassez de talentos é um entrave para o mercado de TI. "Nem sempre um profissional que domina ferramentas tecnológicas é ou quer ser um bom gestor. Quando esse perfil é identificado, porém, a companhia treina e capacita o técnico para um futuro cargo de liderança", diz.
Após serem mapeados internamente, os talentos são convidados a diversos tipos de treinamento, presenciais ou on-line, por cerca de dois anos. "Eles também participam de reuniões com líderes globais da organização, para que convivam com as atividades de um executivo e desenvolvam habilidades de gestão de projetos e de pessoas", afirma Paciello.
Já na IBM do Brasil, o índice de executivos importados de outras empresas é de até 30%, dependendo da área de negócios. "Não é possível reter todos, mas a capacitação independe disso. Precisamos investir na formação dos profissionais, sejam eles diagnosticados como bons líderes ou bons técnicos", afirma Adriana Vasconcellos, líder de recrutamento.
Segundo Werner Penk, líder global de tecnologia da Korn/Ferry International, as empresas que não selecionam ou desenvolvem talentos para liderança correm o risco de perder competitividade. "Se a companhia não tem ninguém para promover para um cargo sênior, é obrigada a contratar de fora. Com isso, tanto a média gerência quanto os profissionais técnicos passam a sentir que não há futuro na atual posição", afirma.

sábado, 24 de novembro de 2012

Oportunidade Trabalho - Modelista

Olá pessoal do Textille.

Um amigo próximo solicitou-me que divulgasse um aoortunidade de emprego para MODELISTA para JEANS no Rio de Janeiro.
Caso alguém queira,ou conhece alguém,por favor contate:
Amauri Maia:(0xx5521)8625-4946
correio eletônico:amaurisamaia@hotmail.com

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Dicas para se candidatar eficientemente em inglês


É recomendado que você tenha seu currículo em inglês aberto quando for preencher o cadastro online, isso por que em alguns campos você pode copiar e colar as informações já contidas no seu currículo, agilizando o preenchimento do cadastro. Tome muito cuidado com o preenchimento, pois esses sistemas contam com filtros que podem excluir seu currículo se ele não contiver certas palavras-chave.
 
A dica aqui é se orientar pelo anúncio da vaga e perfil da empresa.  O anúncio da vaga sempre vai dar dicas em relação às palavras-chave. Preste bastante atenção principalmente nos campos:

- Descrição da vaga (“Job Description”)
- Pré-requisitos (“Profile” ou “Ideal Candidate” ou algo do tipo)
 
Analise esses campos cuidadosamente e pense no candidato ideal para essa vaga.  Quais as características que esse candidato ideal precisa ter? Quais resultados o candidato ideal já precisa ter demonstrado em experiências passadas? Dessas características, quais você possui? Dos resultados, quais você já produziu?
O resultado dessa comparação são as palavras-chave que você precisa inserir nos campos de comentário das experiências profissionais do seu cadastro online.
 
Além disso, outros campos que podem às vezes não receber tanta importância, mas também podem interferir na sua candidatura, são por exemplo, a cidade onde você reside e se está disposto ou não a se mudar; o seu nível em idiomas estrangeiros, aqui a regra da honestidade prevalece: não minta em relação ao seu nível de inglês ou outros idiomas, pois isso pode ser facilmente testado, e o nível salarial pretendido, se você puser um valor bem alto, irrealista para a vaga, são altas as chances do recrutador sequer saber que você existe.
Todos os campos precisam ser preenchidos com atenção e cuidado!
 
Melhores práticas para se candidatar via email
Antes de mais nada, se atenha a todos os campos do email.
- Assunto:
Se o anúncio da vaga não tiver especificado o que colocar nesse campo, escreva “(nome da vaga) – Job Application”.
Ex: Sales Manager – Job Application
 
- Para:
Envie um email para cada vaga/empresa que for se candidatar. Nunca queira “aproveitar” o email e enviar para diversas empresas ao mesmo tempo.
Imagina como o recrutador vai se sentir se receber uma aplicação “geral”, que tem outros 15 emails no campo “Para”?
Isso sem falar que o recrutador pode tirar conclusões negativas sobre você, podem pensar se você não fez esforço enviar um email, imagina se vai se esforçar no trabalho! Muita gente é cortada já nessa fase por causa desse pequeno descuido.
 
- Encaminhar e-mails:
É possível perceber quando um e-mail foi reencaminhado. Por isso, não encaminhe e-mails para não ter o mesmo problema acima, podem deduzir que você é uma pessoa que pouco se esforça. Sempre comece a escrever um email do zero.  Lembre-se que tudo que você fizer será analisado pelo seu potencial futuro empregador.
 
- Corpo do email:
Recomendo escrever um texto curto para se apresentar. Fale brevemente de você e por que você seria uma boa escolha para a vaga. Como exemplo a seguir:
 
“ Dear Sirs (Prezados senhores),
Kindly find attached my résumé for the Marketing Coordinator position in your esteemed company. I have 5 years of experience in Marketing in a consumer goods company. I am a very committed professional and am sure that I will become a valuable asset in your team. (Você encontrará em anexo meu currículo para a vaga de Coordenador de Marketing na sua estimada empresa. Tenho cinco anos de experiência em Marketing numa empresa de bens de consumo. Sou um profissional muito comprometido e tenho certeza de que me tornarei um ativo valioso na sua equipe.)
 
Looking forward for your contact. (Aguardo ansiosamente o seu contato)
 
Kind Regards, (Lembranças)
João Paulo da Silva”
 
Seguindo essas dicas o candidato pode ter certeza que sua classificação nos processos seletivos será muito satisfatória. Pois irá se posicionar de maneira correta no mercado de trabalho e ainda conseguira chamar mais atenção dos recrutadores e headhunters de maneira positiva. 
 
Autor: Ho Mien Mien e Augusto Rocha, diretores da Outliers.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Costureira do CE borda tecidos para indústria têxtil do mundo todo

Há 62 anos, costureira transforma tecidos lisos em bordados. Desenhos dos bordados são exclusivos.

 
Costureira de Maranguape (Foto: TV Verdes Mares/ Reprodução)
Costureira de Maranguape vende tecidos bordados para industria têxtil do mundo todo (Foto: TV Verdes Mares/ Reprodução)
O tecido liso é transformado em desenhos exclusivos nas mãos de Maria do Carmo, 69 anos, em Tabatinga, em Maranguape, a 37 km de Fortaleza. Há 62 anos, a costureira transforma o bordado richelieu em obras de artes vendidas pelo mundo.
Requisitada pela industria têxtil de vários países, Maria do Carmo projeta desenhos diferenciados em cada peça que produz. Segundo a artesã, nenhuma peça feita é igual a outra. “Me sinto feliz porque terminei aquilo que foi criação nossa, porque não foi cópia dos outros”, afirma Maria do Carmo.
A arte de bordar não ficou somente com a dona Maria do Carmo. A nora Nívia de Neves aprendeu o segredo do bordado de rechelieu com a sogra. Segundo a nora, trabalhar com a sogra não deixa tempo para as brigas. “Na parte de baixo da casa ela é sogra e, em cima, ela é uma espécie de patroa. Dá certo porque a gente não tem tempo para brigar, só para trabalhar”, diz Nívia de Neves.
As clientes que passam pelo ateliê reconhecem o trabalho diferenciado da costureira. “Uma verdadeira mão de ouro para fazer um trabalho desse”, comenta a aposentada Maria Eliane.
Fonte: Portal G1

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Veja a importância do Planejamento Estratégico na administração de um escritório contábil

Veja a importância do Planejamento Estratégico na administração de um escritório contábil
 O advento do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) é mesmo surpreendente. Esta importante ferramenta gradualmente vem transformando não apenas as relações entre os contribuintes e o fisco, mas a própria maneira de se administrar uma empresa. Os exemplos são muitos, entretanto, alguns são emblemáticos, como o caso dos escritórios contábeis.
A cada mudança promovida no cenário tributário e fiscal brasileiro, o mercado formado pelas contabilidades absorve uma parte do impacto gerado. O surgimento de diversas novidades previstas para 2013, como o SPED para empresas de lucro presumido, a partir de janeiro, ou o início do SPED Social, em junho, certamente sinalizam grandes oportunidades.
Os últimos dois anos têm sido de muito aprendizado para o mercado contábil, que frente a todas as exigências de readequação, tem trabalhado em ritmo alucinante. Agora, passado esse período mais conturbado, chegou o momento de promover um balanço geral, parar e analisar o que já foi feito e o que ainda precisa ser realizado.
Quais oportunidades podem ser geradas? Onde é necessário rever e analisar as decisões? Como reduzir custos, readequar processos e projetar o futuro? São muitas perguntas, mas certamente todas devem ter respostas satisfatórias.
Ao conversar com os empresários e gestores de empresas contábeis, algo surpreendente sempre aparece. Desta vez foi possível constatar que é muito pequeno o número de escritórios que tem um planejamento estratégico estruturado e formalizado. Antes da chegada do SPED poderíamos até achar aceitável esta realidade, mas as responsabilidades frente aos negócios de seus clientes têm mostrado que só se sustentarão os escritórios melhores estruturados, sabedores do caminho que desejam seguir e aonde devem chegar para obter sucesso.
Mesmo assim, muitos empresários contábeis ainda se perguntam por que implementar o um planejamento estratégico no escritório. Ao analisar esta questão vale fazer uma pequena reflexão. Mas para fazê-la é necessário, antes de tudo, que o gestor responda a algumas perguntas fundamentais:
Como será meu escritório daqui a um ano? Quem eu quero como cliente? Que faturamento posso ter? Quantos funcionários terei? Qual o perfil dos clientes e dos funcionários que quero em minha empresa? Como será o escritório do futuro daqui a 5 anos? Com a evolução do SPED, imagine como será o mercado e os seus serviços, os softwares, os honorários, o trabalho, a concorrência. Afinal, como você imagina o mercado amanhã?
Os planejamentos estratégicos são importantes porque promovem o amadurecimento constante da empresa, do time de colaboradores e ampliam a visão dos negócios. É o momento em que se renovam as oportunidades e se tomam as decisões mais ou menos impopulares.
O tema estratégia, quando devidamente compreendido pelo dono do escritório, costuma se tornar uma paixão sem limites. Primeiro, porque a sua concepção força o profissional a se questionar constantemente sobre qual é o seu verdadeiro papel na empresa.
O olhar estratégico faz com que um gestor passe a gerenciar melhor os problemas do dia a dia, porque o seu foco muda: passa da fase de "discutir os problemas" para o de questionamento sobre "como transformar os problemas que surgiram em oportunidades para a empresa", com o objetivo de tomar as decisões mais consistentes.
Outro fator relevante é aquele em que o gestor se obriga a definir claramente o motivo para o escritório existir; em que pontos ele não pode se descuidar para manter o sucesso; em qual direção a organização deseja seguir, entre outros aspectos. Sem estas definições é o mesmo que estar num barco à deriva em alto mar, você não sabe aonde vai.
Além da importância de comunicar com clareza todas as informações para os funcionários, o planejamento estratégico esclarece estes pontos para o próprio gestor. Parece brincadeira, mas cada vez que um empresário participa de um processo de concepção estratégica, acaba tendo que decidir suas incertezas, refletindo sobre diversos temas: sucessão; participação de familiares nos negócios; clientes; e isto acaba beneficiando o escritório como um todo. Também é interessante saber diferenciar as fases em que cada dono ou gestor se encontra, para que as decisões sejam tomadas corretamente.
Concepção estratégica ou raciocínio estratégico é o exercício de lançar um olhar diferenciado sobre uma situação comum. É tentar enxergar o que os outros não veem. E o resultado deve ser formalizado através de um planejamento estratégico. Nele, mais importante do que metas academicamente perfeitas são as ações que efetivamente podem ser realizadas pelo escritório.
Quando o assunto é estratégia, os resultados desejados para o futuro começam a ser construídos com atitudes concretas no presente. Lembre-se: se a competência do seu escritório é uma arma poderosa, o planejamento estratégico é a mira que racionaliza os recursos e potencializa o resultado.
Ao decidir fazer um planejamento estratégico, contrate ajuda externa, pois ela pode ser muito importante para a resolução de conflitos e análises críticas. Este é o primeiro passo para ter sucesso e realizar excelentes negócios.
Fonte: Administradores.com

sábado, 17 de novembro de 2012

Problemas de logística consomem quase um quarto da cadeia produtiva

Problemas de logística consomem quase um quarto da cadeia produtiva

Interface Newsletter

O gargalo logístico brasileiro consome até 22,69% da receita bruta de setores da cadeia produtiva nacional. A associação de estradas em condições precárias com a falta de integração dos modais (rodovias, portos, aeroportos e hidrovias) de transporte obriga as empresas a disporem de verba bilionária para deslocar produtos e matéria-prima pelo país, segundo estudo inédito da Fundação Dom Cabral. Os setores de bens de capital, construção e mineração são os que mais sentem os estragos provocados pela péssima infraestrutura brasileira, com custos superiores à média registrada entre as companhias consultadas (13,14%).

O levantamento tem como finalidade avaliar as despesas com logística no país. Foram ouvidas 126 empresas (entre elas, a Petrobras, a Vale e a Fiat), que, juntas, faturam o equivalente a um quinto do Produto Interno Bruto (PIB). O transporte de longa distância corresponde a 38% da composição do custo com distribuição de produtos. E a principal razão são as péssimas condições das estradas. Esse fator é apontado por 54,5% dos entrevistados como fator-chave para os gastos adicionais.

A solução para esse quadro desanimador não está, no entender de mais de 70% dos entrevistados, no investimento em infraestrutura rodoviária, mas, sim, na melhor gestão das ferrovias com integração multimodal. “As empresas estão conscientes que, mesmo se melhorar as rodovias, a concentração de carga mantém o preço em alta por causa do monopólio do frete. É preciso ter maior concorrência entre os modais de transporte para reduzir o custo”, afirmou o coordenador do Núcleo de Infraestrutura e Logística da Fundação Dom Cabral, Paulo de Tarso Resende.

Outros dois fatores são citados como primordiais para a elevação de custo: burocracia governamental e restrição de carga e descarga em grandes centros urbanos. Esses itens são apontados, respectivamente, por 51,2% e 49,6% das empresas. O primeiro está relacionado, principalmente, aos entraves em portos e aeroportos, o que encare o comércio exterior. Já o segundo significa encargo para diversas cadeias, como a de automóveis e a de construção civil.

Fila de semanas
O presidente da Federação das Empresas de Transportes de Carga de Minas Gerais (Fetcemg), Vander Francisco Costa, disse que, no caso da lentidão do poder público, os transportadores são obrigados a ficar ao longo de semanas nas filas para ingresso e saída de produtos internacionais à espera da liberação de documentos. Além disso, a ineficiência de armazéns torna o sistema ocioso. “O caminhão deveria carregar, descarregar e voltar. Mas não é assim. Mesmo no porto de Paranaguá, é obrigado a ficar quase 15 dias. Com isso, faz-se do caminhão um armazém sobre rodas”, relatou. Como o custo do caminhão em uso é de R$ 100 por hora útil, essa cifra é acrescida ao valor do frete.

Diretor da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Marcelo Veneroso compara o processo de transporte de máquinas no Brasil e nos Estados Unidos. Lá, segundo ele, máquinas com 15 ou 20 metros são colocadas num pranchão e transportadas de forma simples. Aqui, é necessário separar por módulos e ter cuidados com peças e componentes que oscilam com as vibrações nos buracos das estradas.

Diante das más condições das rodovias brasileiras, a privatização é uma unânimidade, segundo a Fundação Dom Cabral. Considerando o aumento de custo proporcionado pela qualidade baixa das estradas, as empresas dizem preferir arcar com os custos do pedágio. Entre as 126 companhias pesquisadas, todas concordaram em pagar a tarifa para ter maior qualidade na infraestrutura rodoviária.

FONTE: CORREIO BRAZILIENSE

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Melhores Aprendizados De Steve Jobs

steve jobs
Como fã de tecnologia, crescimento e desenvolvimento pessoal, não poderia deixar de prestar uma pequena homenagem a um de meus mentores de empreendedorismo e tecnologia, que foi o saudoso Steve Jobs que, infelizmente nos deixou no dia 05/10/2011.
Muitos conheciam o Steve Jobs como uma pessoa muito inteligente, sendo um dos gênios da tecnologia dos tempos atuais, em que nos proporcionou altos níveis de facilidade, entretenimento, praticidade e ferramentas avançadas para manusearmos equipamentos eletrônicos na área da informática. Para você ter uma ideia, Steve Jobs foi a 1ª pessoa que criou um computador de fácil acesso, que foi o Macintosh que, na época, tinha fila de espera de 40 dias até você conseguir adquirir uma unidade.

CARREIRA DE STEVE JOBS:

Como um dos fundadores da Apple, foi o mentor da criação de vários produtos de sucesso, entre eles: iPod, iPhone e iPad.
Mas Steve Jobs não foi somente um gênio nesta área, pois temos vários outros gênios que sempre estiveram junto dele na Apple, como: Steve Wozniak (programador da Apple), Jonathan Ive (designer da Apple),  John Lasseter (criador da 1ª animação em computação gráfica que foi o Toy Story), entre vários outros, pois ele também foi um gênio na arte do desenvolvimento e crescimento pessoal, que são imprescindíveis para um profissional de sucesso.

FRASES DE STEVE JOBS:

Foi feito um filme muito interessante que mostra um pouco do que foi o início até meados da carreira de Steve Jobs e que é muito interessante. Se ainda não viu, lhe aconselho a ver pois irá se surpreender com a história. O filme se chama “Piratas do Vale do Silício”.
Ele possui várias frases marcantes em sua carreira empreendora de sucesso espetacular. Veja algumas delas:
Eu trocaria toda a minha tecnologia por uma tarde com Sócrates”
“Ser o homem mais rico do cemitério não me interessa. Ir para a cama à noite dizendo que fizemos algo maravilhoso, isso importa para mim”
“Você quer passar o resto de sua vida vendendo água com açúcar ou quer ter a chance de mudar o mundo?”
“Você não pode conectar os pontos olhando para a frente; você só pode conectar os pontos olhando para trás”
“Lembrar que eu estarei morto em breve é a ferramenta mais importante que eu encontrei para me ajudar a fazer grandes escolhas na vida”
“Seu tempo é limitado. Por isso, não perca tempo em viver a vida de outra pessoa. Não se prenda pelo dogma, que nada mais é do que viver pelos resultados das ideias de outras pessoas”
“A única maneira de ficar realmente satisfeito, é fazer o que você acredita ser um ótimo trabalho”
“Não deixe o ruído da opinião alheia sufocar sua voz interior”
“Se hoje fosse o último dia de minha vida, queria fazer o que vou fazer hoje? E se a resposta fosse Não muitos dias seguidos, sabia que precisava mudar algo.”
Hoje temos diversas biografias sobre Steve Jobs, recentemente li uma delas que é a “Faça Como Steve Jobs e Realize Apresentações Incríveis Em Qualquer Situação” em que gostei bastante e recomendo.
E, para resumir tudo isto, veja neste vídeo os 3 Grandes Aprendizados da vida de Steve Jobs que podemos trazer para nossas vidas também e nos motivarmos sempre para nunca desistirmos de nossos sonhos e nossas metas. Este vídeo é um discurso que ele fez na formatura de uma das melhores universidades (Stanford)  dos Estados Unidos em 2005:

E você, já conhecia a carreira deste gênio da informática que foi o Steve Jobs? Coloque aqui nos comentários o que mais lhe surpreendeu da carreira desta pessoa que foi espetacr tanto como ser humano, quanto profissional…


terça-feira, 13 de novembro de 2012

Inbrands faz parceria para vender Tommy Hilfiger no Brasil.

São Paulo - A Inbrands, holding detentora de marcas como Ellus, Richards e Alexandre Herchcovitch, anunciou nesta segunda-feira a formação de uma joint venture com a Tommy Hilfiger, cujo controle será compartilhado entre ambas.
A primeira etapa da parceria, com prazo inicial de dez anos, constituirá a joint venture e garantirá a ela os direitos de operar, gerir e comercializar os itens de vestuário da marca Tommy Hilfiger no Brasil. As vendas ao consumidor terão início em janeiro de 2013.
Já a segunda etapa, que será implementada em 1o de janeiro de 2013, prevê a rescisão da licença concedida pela Tommy à American Sportswear para comercializar os produtos no país.
A Tommy Hilfiger é uma subsidiária integral da PVH, uma das maiores empresas de vestuário do mundo, que também comercializa a marca Calvin Klein, e da American Sportswear, grupo distribuidor de produtos das marcas Tommy Hilfiger e Hilfiger Denim para América Latina e Caribe.
Dimitrios Kambouris/Getty Images
Design Tommy Hilfiger
Designer Tommy Hilfiger, responsável pela marca: vendas ao consumidor no Brasil terão início em janeiro de 2013
Fonte:http://exame.abril.com.br/negocios/empresas/noticias/inbrands-faz-p...

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Rio Moda Hype.

Veja como foram os desfiles da 17ª edição da premiação de novos talentos.

Com cinco participantes, sendo quatro deles estreantes, o Prêmio Rio Moda Hype aconteceu na manhã de quarta-feira (07.11) mostrando o trabalho de jovens estilistas de várias partes do Brasil. Veja a ficha técnica das apresentações, com uma seleção de três looks de cada coleção:
Wasabi (RJ)
©Zé Takahashi/Agência Fotosite
Estilistas: Ana Wambier e Daniela Sabbag
Tema: “Dentro do mar tem rio”
Stylist: Rogério S.
Materiais: Algodão, seda, organza, tweeds e paetês
Cores: Variações de bege, marrom, cobre, dourado e azul, com poucos vermelhos e verdes
Coleção: Inspirada na estética “wabisabi”, filosofia oriental que destaca o imperfeito e o rústico – daí as costuras propositalmente inacabadas ou aparentes, as formas soltas e assimétricas e as misturas de texturas e estampas que lembram corrosão e ferrugem.
Patrícia Gimenez (SP)
©Zé Takahashi/Agência Fotosite
Estilista: Patrícia Gimenez
Tema: Alma revelada em cores
Stylist: Felipe Dornelles
Materiais: Algodão maquinetado, voil de seda e viscose acetinada
Cores: Dourado, romã, azul turmalina, damasco, rubi, pink lótus e ouro velho
Coleção: Inspirada no trabalho do fotojornalista Steve McCurry, autor da famosa imagem da menina afegã que foi capa da “National Geographic”, a coleção mistura formas ocidentais e orientais com cartela de cor vibrante.
UNAK (SP)
©Zé Takahashi/Agência Fotosite
Estilista: Bruna Cineze Santini
Tema: Gás oxigênio, íons e hidrogênio
Stylist: Leo Neves
Materiais: Jeans e sarja
Cores: Preto, azul, cinza e branco
Coleção: Tendo o jeanswear como fio condutor, a estilista trabalhou com diferentes técnicas de lavanderia, beneficiamento e tratamentos químicos criando vários efeitos de desgaste no jeans e na sarja.
enkb (SP)
©Zé Takahashi/Agência Fotosite
Estilistas: Cínthia Mádero e Mell Barbosa
Tema: Defyning Hunter | Defying man
Stylist: Leo Neves
Materiais: Moletom, viscose, couro, tela, lã, malha sublimada
Cores: Tons de cinza, verde army, laranja, mostarda, turquesa Prússia
Coleção: Inspiradas pela “busca insatisfeita, eterna e instintiva do homem”, as estilistas procuraram criar uma coleção funcional, sugerindo mistura de texturas e de comprimentos.
Sann Marcuccy (DF)
©Zé Takahashi/Agência Fotosite
Estilista: Sann Marcuccy
Tema: Universal Exhibition de Manet
Stylist: Felipe Dornelles
Materiais: Seda, linho, sarja, malha, renda
Cores: Tons de bege, branco e dourados
Coleção: Inspirado no quadro “Universal Exhibition” (1867), de Manet, o estilista Sann Marcuccy, em sua quarta participação no Prêmio Rio Moda Hype, procurou misturar “tradição e vanguarda”.

6 passos para o insucesso e a ruína de sua reputação.

Uma boa reputação potencializa qualquer campanha, estratégia ou plano de marketing e negócio, mas é preciso ter consciência, habilidade e muito "jogo de cintura" para dar continuidade à uma marca já reconhecida.

A árdua tarefa de conquistar uma colocação gratificante no mercado pode ser facilmente destruída e, algo que levou anos para ser construído, pode acabar em ruínas em questão de segundos!
Desta maneira, não é seguro ou prudente assegurar-se na própria reputação, uma vez que qualquer passo em falso pode levar seu empreendimento ao insucesso.
Uma boa reputação potencializa qualquer campanha, estratégia ou plano de marketing e negócio, mas é preciso ter consciência, habilidade e muito "jogo de cintura" para dar continuidade a uma marca já reconhecida.
Sendo assim, listamos a seguir 6 erros que irão, sem dúvidas, "por em xeque" sua credibilidade e, consequentemente, sua reputação. Acompanhe:
1. Falta de compromisso, demagogia e hipocrisia: Não responder às perguntas ou às necessidades dos consumidores;
2. Oportunista e enrolado: Deixar os clientes sem resposta ou tentar tirar proveito de alguma situação de modo a favorecer a si mesmo sem pensar no principal, que é o cliente;
3. Burocracia e protelação: Tornar todas as ações, desde as mais simples, em um caos de dificuldades;
4. Expectativas frustradas: Prometer o que não pode cumprir, desde prazos até o produto em si;
5. Fugir da responsabilidade: Transferir a culpa, de modo a acusar terceiros;
6. "Síndrome do Estrelismo": Nada mais é do que o empreendedor que se faz totalmente inalcançável e inacessível, dizendo ter "brilho próprio".
Analise e questione a si mesmo "eu tenho feito alguma das ações relatadas acima?" Se a resposta for sim, reflita e mude! Mesmo que você tenha se identificado com uma única, saiba algo está profundamente errado e sua reputação já está, provavelmente, em declínio.

Felipe Martins - fundador e presidente da empresa DOTSTORE, especializada em criação e assessoria em Loja Virtual. 

Rich Snippets: Como Colocar sua Foto Junto com seu Site nas Buscas do Google

Com certeza, o link do seu site fica muito mais atraente com a sua foto do lado, e isso aumenta consideravalmente as chances de receber um clique do internauta. Mas como colocar a sua foto ao lado do link do seu site nos resultados das buscas no Google. Siga este roteiro passo-a-passo:
1. Crie um Perfil no Google+
A primeira coisa a fazer é criar um perfil no Google+, se é que você ainda não tem. Para criar o seu perfil, acesse o site do Google+  e clique no botão “Inscreva-se”. Depois preencha o formulário de cadastro com os seus dados. Se você já tem uma conta no GMail, YouTube, Orkut ou em qualquer outro serviço do Google, possivelmente poderá usar essa mesma conta para criar o seu perfil no Google+.
2. Coloque uma Foto do seu Rosto no seu Perfil no Google+
O Google usará a foto do seu perfil para exibir ao lado do seu site nos resultados da busca, então você precisa adicionar uma foto do seu rosto no seu perfil do Google+. Para isso, acesse sua conta no Google+ e clique no botão “Perfil”, depois clique no link “Alterar Foto do Perfil”.
Google+ Alterando Foto do Perfil
Na tela seguinte você terá várias opções para definir sua foto, desde fazer um upload até tirar uma foto na hora usando sua webcam. Repare que a sua foto precisa ter pelo menos 250 x 250 pixels para ser aceita.
Agora um detalhe importante: a foto precisa ser do seu rosto. Não tente trapacear colocando uma foto de um produto ou qualquer outro objeto. Isso pode resultar na suspensão do seu perfil no Google+. Eu sei do que estou falando, hehehehehehehehe…..
3. Adicione um Link para o seu Site ou Blog na Seção “Colaborador de” do seu Perfil.
Agora que você já criou o seu perfil no Google+ e colocou sua foto nele, é preciso adicionar um link para o seu site na seção “Colaborador de” do seu Perfil. Para isso, clique no botão “Sobre” do seu perfil e depois clique no botão “Editar perfil”.
Google+ Sobre
Na tela seguinte, role até a seção “Colaborador de” e clique nessa seção.
Google+ Colaborador
Clique no link “Adicionar link personalizado” e adicione o link do site que você quer que apareça com sua foto nas buscas do Google. No campo “Marcador”, digite o texto que deseja para o seu link e no campo “URL” digite o endereço do seu site ou blog. Depois clique no botão “Salvar”.
Google+ Link Colaborador
4. Coloque no seu Site um Link para o seu Perfil no Google+ com o Parâmetro “Author”
Agora você precisa colocar no seu site ou blog um link para o seu perfil no Google+ com o parâmetro “author”. Esse link precisa ser no seguinte formato:
https://plus.google.com/109319758052727500243?rel=author
Apenas substitua o código 109319758052727500243 do link acima pelo seu ID (código identificador) no Google+. Você pode ver o  seu ID na barra de endereço do seu navegador quando estiver acessando seu perfil no Google+.
Esse link deve aparecer preferencialmente em todas as páginas do seu site ou blog. Se você tem um blog, pode colocar o link na seção de Links ou até no rodapé do seu blog com um texto do tipo: “Siga-me no Google+”, ou apenas “Google” ou “Google+”. Não se esqueça de incluir o parâmetro ?rel=author no final do link, caso contrário não fai funcionar.
Google+ Link Author
5. Faça um Teste
Finalmente, você pode testar se o seu trabalho está correto. Para isso, acesse esta Ferramenta de Teste de Rich Snippets do próprio Google e digite o endereço do seu site ou blog no campo “Enter a web page URL…”, depois clique no botão “Previw”.
Rich Snippets Teste Resultado
Se você ver a foto do seu perfil no Google+ ao lado do link do seu site, conforme o exemplo da figura acima, então está tudo certo! Se isso não acontecer você provavelmente fez algo errado e terá de repassar este tutorial para descobrir onde errou.
Observe que o Google não vai apresentar sua foto imediatamente nos resultados das buscas. Pode levar alguns dias ou até semanas para que isso aconteça.

 http://www.kitganhedinheiro.net/b/?a=rich-snippets-colocar-foto-buscas-google/&i=14430


Varejo e o impacto das constantes mudanças na legislação

Varejo e o impacto das constantes mudanças na legislação
Fonte: Systax
Uma das maiores inseguranças das empresas varejistas atualmente está relacionada a frequente mudança em nossa legislação.

De um lado temos o interesse coorporativo em que as vendas tenham expansão e ultrapassem as fronteiras dos estados, por outro, temos a grande preocupação da área fiscal em garantir a confiabilidade nas informações, que além de serem informadas ao Fisco, também são usadas na própria elaboração do preço de venda do produto. Uma disputa acirrada entre a venda, o prazo curto e a segurança da operação.

Muitas vezes o tempo para que o produto já esteja disponível para a venda não é suficiente para que seja feito um estudo tributário adequado, classificando a NCM adequadamente, e identificando toda a regra tributária na operação.

Pensando nessas dificuldades criamos o Systax, uma ferramenta que possibilita à área fiscal atualizar suas operações diariamente com a mesma agilidade e rapidez exigidas pelo mercado.

O Systax fornece toda a regra tributária para as operações da empresa, incluindo ICMS, ST, MVA, PIS e COFINS, item a item. Tendo como diferencial, ainda, a possibilidade de configurar os regimes especiais, respeitando as diferenças e peculiaridades de cada empresa, cliente ou fornecedor.

As empresas podem contar ainda com o serviço exclusivo de Classificação Fiscal, tanto para a revisão dos itens cadastrados, como para a classificação dos itens novos, contando também com a agilidade de nossos consultores.

sábado, 3 de novembro de 2012

Como Encontrar Bons Programas de Afiliados

Atualmente existem milhares de programas de afiliados na Internet, e você pode ganhar um bom dinheiro com eles. Mas para isso, você precisa participar de bons programas de afiliados. Na minha opinião, um bom programa de afiliados precisa ter estas características:
  • Um produto ou serviço de ótima qualidade;
  • Um produto ou serviço com muita procura;
  • Uma página de vendas muito otimizada e convincente, que faça as pessoas comprarem mesmo;
  • Um sistema de acompanhamento para otimizar as vendas mesmo depois que o visitante saiu da página de venda, por meio de mensagens enviadas por e-mail (com a devida autorização do visitante, é claro!);
  • Um sistema de cookies para garantir que o afiliado receberá sua comissão mesmo que o visitante volte à página de venda dias depois sem ser pelo link do afiliado que o indicou primeiro;
  • Pagar ótimas comissões, valorizando ao máximo o empenho do afiliado;
  • Pagar as comissões rapidamente, sem ficar enrolando os afiliados que trabalharam duro para gerar as vendas;

Suce$$o!
http://buzinessnaweb.k6.com.br/

Grande Varejo de Vestuário Tropeça no Gosto do Cliente

O que leva um cliente a escolher determinada loja de roupa em detrimento de outra? Quem imaginou que é apenas a moda se enganou. Pesquisa exclusiva da CVA Solutions para o Brasil Econômico sobre varejo de vestuário mostra que questões simples como a fila do caixa e a disponibilidade de tamanho de roupas podem comprometer a imagem da varejista.
Realizada em outubro com 5.336 consumidores de todo o Brasil, o estudo aponta quais são os principais motivos de atração e rejeição das redes de vestuários. O objetivo foi entender quais redes se destacam em custo-benefício percebido pelo consumidor. De acordo com o estudo, os grandes magazines se destacam em Força da Marca. Trata-se de um índice calculado a partir do percentual de atração da marca menos a rejeição perante a todos os consumidores que responderam a pesquisa. Porém, quando o assunto é custo-benefícios, as grandes varejistas deixam a desejar.
O melhor Valor Percebido (custo-benefício percebido) é das Lojas Americanas, que obteve índice de 1,05. Em segundo aparece Torra Torra com 1,05, seguida de Extra Hipermercados (1,03), Leader (1,02), Hering (1,01) e Riachuelo (1,00). Este índice determina se os produtos e serviços oferecidos pela empresa estão abaixo (até 0,98), na média (de 0,98 a 1,02) ou acima das demais empresas do mercado (1,03 a 1,10).
"No caso das Lojas americanas, por exemplo, o cliente sabe que não vai encontrar tudo o que quer de vestuário, mas o que encontra está em linha com sua expectativa", afirma. No caso da rede de varejo paulista Torra Torra, a questão preço é determinante. Já no caso do Extra Hipermercados, questões como custo dos produtos, variedade e conveniência foram determinantes. "A Hering merece destaque pois, apesar da tradição como fabricante, é nova como lojista, e já apresenta bons resultados em quesitos como imagem, qualidade dos produtos, pouca fila, moda e atendimento".
No caso da carioca Leader, segundo Sergio Griffel, diretor comercial da empresa, o diferencial está no investimento em variedade, alinhado à demanda. "Nosso objetivo é que a mulher moderna faça da Leader o seu espaço e encontre tudo o que precisa em um único lugar."
Mas e quanto às marcas mais famosas de varejo de vestuário. A pesquisa mostra que os grandes magazines ainda têm maior Força da Marca. O primeiro lugar é da Riachuelo com 13,6%. A Renner aparece em segundo lugar (2,9%), seguida pela C&A (7,5%), Hering (7%), Zara (4,9%) e Marisa (4,4%). "O problema é que estas empresas pecam em coisas básicas como atendimento e fila." Tanto Riachuelo, Renner e C&A tiveram altos índices de rejeição por conta da fila no caixa. Já no caso da Zara, o estudo revela que o consumidor está atento às informações na mídia. "A Zara foi vinculada recentemente ao uso de trabalho escravo e isso acabou por influenciar no nível de rejeição da marca", diz Cimatti.
A C&A informou por meio de sua área de comunicação que "a pesquisa aponta fatores essenciais que serão levados em conta, para garantir o objetivo de superar os níveis de satisfação dos nossos clientes. Até o fechamento desta edição, Renner, Riachuelo, Marisa e Zara não se pronunciaram.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Briga entre pai e filha pode fazer Lacoste ter novo controle

            
Michel Lacoste
Michel Lacoste: herdeiro da grife francesa quer vender sua parte no negócio
São Paulo – Quando criou a Lacoste, grife francesa mundialmente conhecida por seus jacarés bordados em camisas polos, René Lacoste não imaginava que, oito décadas depois, seu filho e sua neta disputariam o comando da companhia a tapas e que a briga entre pai e filha poderia tirar o clã Lacoste do controle da empresa. 
A grife francesa está seriamente ameaçada de mudar de dono. Em represália à manobra que levou Sophie Lacoste, sua filha, ao cargo de CEO e à presidência do conselho da companhia, Michel Lacoste ofereceu sua participação na empresa, 30,3%, à suíça Maus Frères. A Maus já concordou em comprar essa fatia. Caso isso aconteça, a empresa passará a controlar a Lacoste, pois já detém uma fatia de 35% da grife, por meio de uma controlada – a Devanlay.
Em setembro, Sophie conseguiu, com a ajuda de outros membros da família, derrubar seu pai do comando da companhia. Michel era presidente da Lacoste havia quase sete anos. Ele assumiu o posto quando seu irmão, Bernard Lacoste, ficou doente, em 2005, e precisou transferir a gestão da marca para outro herdeiro.
Hoje o controle da grife francesa é dividido em três grupos: o liderado por Sophie, que detém quase 35% do capital da empresa, o comandado por Michel, com pouco mais de 30%, e o dirigido pela suíça Devanlay, que possui mais de 35% da companhia.
Além de colocar à venda sua parte no negócio, Michel entrou também na Justiça contra a filha para conseguir destituí-la da função de presidente da Lacoste. Em entrevista recente ao jornal Le Monde, o herdeiro afirmou que Sophie não tem capacidade para tocar uma companhia de sucesso, pois nunca passou um dia de sua vida dentro de uma empresa.  A nova presidente da Lacoste é atriz de teatro na França, embora tenha cursado administração na universidade.

Saída
Para o Le Monde, Michel também afirmou que a disputa familiar pela gestão da companhia não terá fim, por isso, vender sua parte no negócio poderia ser a saída para não colocar ainda mais em risco o futuro da grife francesa. De acordo com a imprensa internacional, o acordo – se fechado de fato com a Devanlay – pode valorizar a marca em mais de 1 bilhão de dólares. A empresa suíça é responsável por 60% do volume de vendas da Lacoste no mundo.
Em 2011, a Lacoste somou vendas globais de 2,1 bilhões de dólares. Com atuação em mais de 110 países, a marca emprega cerca de 20.000 pessoas direta e indiretamente no mundo todo. No próximo ano, a grife francesa completa 80 anos de existência e seu presente pode ser, quem sabe,  uma nova nacionalidade: a suíça.
FONTE: EXAME

Novo e-commerce traz ao Brasil mais de oito mil lingeries.

Novo portal traz lingeries ousadas.
Novo portal traz lingeries ousadas.
As apaixonadas por lingeries ousadas e sofisticadas já tem um novo endereço virtual para compras! Chegou ao Brasil o Provare, e-commerce especializado em moda íntima, com mais de oito mil peças de marcas nacionais e internacionais.
A ideia surgiu da necessidade não atendida da empresária Juliana Borsatto, uma das sócias, que não encontrava na internet produtos dentro de suas expectativas. Entre as etiquetas disponíveis para compra no portal, estão Un.i, Sloggi, De Chelles, 24/7 Intimates, Kandy Privé, Lutecia e Not Naïve, além da americana Baci, totalmente exclusiva.